Acupuntura é uma técnica da medicina chinesa que promove o equilíbrio físico e energético; pode ser aplicada com agulhas, laser ou pressão

A Medicina Chinesa é milenar e composta de diversas técnicas de promoção à saúde. A acupuntura é uma delas, já bastante conhecida e difundida também no ocidente. Sua principal característica é a inserção de agulhas em pontos do corpo. Além das agulhas, o procedimento pode ser por acupressão (pressão manual) e estimulação com laser (hoje muito utilizado por ser indolor).

            São mais de 1500 pontos – distribuídos em pontos específicos e extras – dispostos em canais chamados de meridianos e que contemplam o corpo todo, estando interligados. Cada um dos 12 meridianos parte de um órgão interno ou vísceras, aflorando na região de tendão e músculos. E a ciência da coisa é assim: a inserção da agulha gera uma resposta a nível cerebral no local correspondente, com resposta sistêmica pela despolarização de membrana das células.

            Em geral são 200 pontos mais conhecidos e utilizados, porém, em um sessão de acupuntura, de acordo com a necessidade do paciente, é utilizado um número mínimo de agulhas obtendo uma resposta esperada e eficaz. Podem ser tratados pontos na região da dor ou pontos distais (por exemplo, tratar uma dor na coluna vertebral com um ponto no pé – que estão conectados por um meridiano) que desencadeiam analgesia e resposta antiinflamatoria onde o profissional deseja. A técnica busca resolver os problemas ao estimular a busca da cura pelo próprio organismo.

A acupuntura é indicada para questões físicas, mentais e emocionais, visando reestabelecer o equilíbrio do organismo, promovendo saúde e qualidade de vida. Assim, é integrativa e complementar. “Pode tratar tudo, porque ela procura também ou inclusive harmonizar o campo energético para ter uma resposta no campo físico, desbloqueando energias que podem estar estagnadas ou estimulando a sua produção. Inteligentimente libera substâncias endógenas necessárias para resolver o problema, como fluídos, hormônios e sangue”, explica Maria Isabel Peres Marques, farmacêutica há 30 anos e acupunturista há 10.

Neste sentido, é indicada para casos como dores em geral, insônia, depressão, melhora do trânsito intestinal, ansiedade entre outros problemas. Pode ajudar também amenizando efeitos colaterais de medicamentos, como pessoas que fazem quimioterapia e procuram a acupuntura para alívio de náuseas, dor e mal-estar.

Acompanhe o exemplo à A pessoa sofre com insônia. Não está conseguindo dormir bem, o que afeta todos os aspectos da sua vida. A acupuntura, com a inserção nos pontos certos, estimula a produção da melatonina nos níveis necessários ao organismo, promovendo o equilíbrio do sono. Com isso você reequilibra a produção do hormônio necessária para você.

            O que esperar de uma sessão de acupuntura

Poderíamos começar falando sobre o que não esperar: dor. “Ainda que no imaginário popular agulhas estejam associadas a ela, via de regra a acupuntura – que é a “arte de inserir” – gera pequeno desconforto, amortecimento ou sensação de peso, mas não dói depois de inserida. O material usado mede apenas 7mm, da espessura de um fio de cabelo”, ressalta Maria Isabel. Mas antes de chegar à colocação propriamente dita, o primeiro passo é a anamnese.

            Neste momento o profissional vai entender suas queixas e necessidades de acordo com diagnóstico feito por conversa anterior e análise da língua ou pulso, traçando um plano de tratamento. Em geral, são previstas 10 sessões em que as agulhas ficam inseridas cerca de 20 minutos. Mas como promove o bem-estar geral, pode ser feita continuamente, com intervalos maiores, conforme indicação do acupunturista ou médico.

            Além da escolha de quais e quantos pontos, a profundidade, inclinação da colocação e o tipo de estimulação também variam. A estimulação pode ser manual, por calor e estímulos elétricos. Grosso modo, movimentos no sentido horário são estimulantes; no anti-horário, sedativos. Circulares promovem harmonização de energia.

No caso da acupressão, ao invés das agulhas é feita uma pressão no ponto (com os dedos, por exemplo). Na versão a laser, a estimulação dos pontos é feita por raios vermelhos e infravermelhos. Além dos grandes sistemas, nosso corpo possui 3 microssistemas: mão, pé e orelha, que tem pontos que equivalem a todo corpo. Por isso também existem versões que são aplicadas apenas no microssistema.

            As boas práticas de higiene devem ser observadas e todas as agulhas são descartáveis. Para ser acupunturista, o profissional deve primeiro ter concluído uma graduação em algum curso na área da saúde e depois feito especialização específica.

Fonte: Maria Isabel Peres Marques, farmacêutica e acupunturista