Escovar os dentes: você está fazendo do jeito certo?

Desde cedo você ouviu que devia escovar os dentes depois de cada refeição. É um hábito que já faz parte do cotidiano. Mas, e será que você está fazendo da maneira e frequência correta?

                Pode não parecer, mas a saúde bucal (ou falta dela) gera impacto em todo o organismo. Por isso, escovar os dentes vai além da sensação gostosa de dentes limpinhos e hálito fresco. O objetivo principal está em eliminar ou reduzir a placa bacteriana e prevenir o aparecimento de cáries. E isso quer dizer que tem um jeito certo de fazê-la, para que cumpra adequadamente este papel.

                O recomendado é utilizar pelo menos 2 minutos para escovação, estendendo o processo para todos os dentes. A escova deve estar em um ângulo de aproximadamente 45º em relação à linha da gengiva, provida do creme dental de sua preferência. Os movimentos devem ser curtos, suaves e circulares, em vai e vem. A escova deve passar por toda a superfície do dente, tanto na arcada superior quanto inferior – em cima, perto das gengivas, na parte da frente e de trás.

E vale o cuidado se acessar aqueles lugares mais difíceis, inclusive estendendo o tempo da escovação. Nos casos de quem usa aparelho ortodôntico, o cuidado deve ser redobrado. Ah, e a língua também precisa ser escovada. Para completar, utilize o fio dental.

Quando o processo é feito apressado ou sem abranger todo o espaço, pode ser que os dentes não sejam limpados adequadamente. Ou seja, que bactérias, fungos e vírus (que causam problemas como gengivite e periodontite) continuem por lá.

                No espectro extremo está a escovação excessiva ou aplicando muita força. Nos dois casos, pode haver desgaste além do ideal da superfície dos dentes e danos aos tecidos da boca. Converse com seu dentista para ver se este é o seu caso.